26/09/2012

Linda menina


E ali estavam os olhinhos daquela linda menina.

Tão inocente, tão doce, muito pequena ainda.
Olhei fundo, suspirei junto, abri meu sorriso.
A mais sincera expressão da verdade.
E o coração se enche de felicidade.
Agora em meus braços, sinto o cheiro gostoso de bebê.
Como será que você vê o que eu posso ver?
Sinto um calorzinho aconchegante.
Penso o quanto eu quero te proteger.
Penso na vida inteira que há pela frente.
E como ela vai precisar da gente...
Ah...
Se eu pudesse, menina linda, eu nunca deixaria ninguém te fazer sofrer.
E ela me olha de novo. Entre um piscar e outro, ela se ajeita, sonolenta.
Ah tia... Fica calma, não esquenta... 

21/09/2012

16/09/2012

Texting

Quantas vezes já teve vontade de enviar uma mensagem de texto pra ele sabendo que não deveria enviar, que precisa ter paciência e se controlar?!

Dica: envie uma mensagem para outra pessoa! Que tal seu irmão, ou uma amiga? 

Alivia a vontade de escrever e satisfaz a vontade de receber atenção!

Acredite... Funciona! 

A última solteira

Por pelo menos 15 anos elas viveram a mesma cena. Se reuniam para matar a saudade, para contar as novidades, tentar resolver os problemas e espalhar algumas fofocas... Não existia sessão de terapia melhor do que um encontro com as amigas de tanto tempo.

E o tempo voa não? Passaram formaturas, trabalhos, viagens, casamentos, bebês...

Então, das quatro em volta da mesa, havia três alianças nos dedos.

As amigas de Bia eram agora senhoras fulano de tal. Coisa que nunca afetou o comportamento de cada uma, muito menos a amizade entre elas.

Porém no último encontro, Bia, que sempre teve uma postura mais comedida, foi alvo de três olhares esperançosos, ávidos por novidades! Eram três casadas, buscando as aventuras da última solteira.

Bia não soube dizer na hora se aquilo era um complô para que ela se sentisse parte ainda do grupo; numa tentativa de que ela não se sentisse triste ou só; ou se as amigas estavam realmente interessadas nas baladas e pistas da vida.

Mas durante toda a conversa ela entendeu uma coisa. Solteiras idealizam, mas não sabem o que é a vida de casado. E as casadas sofrem uma amnésia, não se lembram como elas eram quando solteiras. Tudo tem seu lado bom e ruim.

No entanto, ao final do dia, ela não conseguiu tirar uma pergunta da cabeça: será o casamento o fim das aventuras?

Bia sinceramente espera que não. 

13/09/2012

Procura-se

Imagens super fofas criadas pela Oh,Thaís! Design e comunicação visual. 

Pra quem está só procurando... 





















Tem muitos outros lá na Fan Page dela no Facebook. 

12/09/2012

Rei da cocada preta


A admiração de Fernanda por ele era imensa. Ele tinha porte. Tinha experiência, era conceituado, estudado, todos respeitavam muito.

Um dia, num momento de fraqueza dela, ele incentivou:

― Medo? Fê, você não precisa ter medo! - ele a olhou nos olhos e continuou:

― A coragem não é a ausência do medo... Coragem é a ação apesar do medo!

E suas palavras ecoaram na cabeça de Fernanda. Enchendo seu corpo de vigor, de uma adrenalina instantânea, que lhe deu vontade de sair desbravando o mundo.

Como aquele homem era fantástico! Quanta sabedoria! Ela ficara imaginando onde ele tinha aprendido tanta coisa!

Meses depois...

Fernanda estava sentada no sofá, assistindo um filme água com açúcar na sessão da tarde:

― Princesa! - dizia o jovem plebeu.

― Eu não vou fazer isso, eu não vou conseguir, eu tenho medo! - a princesa retrucou.

― Princesa, preste atenção no que eu vou lhe dizer... - e ele a olhou nos olhos e continuou:

― A coragem não é a ausência do medo... Coragem é ter ação, apesar do medo! - finalizou o sábio plebeu. 

11/09/2012

Magic shoes

Ok rapazes! Esse ‘post’ vai especialmente para vocês que acham as mulheres complicadas e exigentes... Vocês têm toda razão!

Quatro mulheres lindas (mesmo) com mais de trinta anos em uma mesa de bar. Elas estavam começando a trabalhar juntas, pouco se conheciam.  Aproveitaram o ‘happy hour’ pra distrair e se conhecerem melhor. E papo vai, papo vem. As pessoas começaram a passar por elas, alguns homens olhavam, outros estavam acompanhados. Outros estavam acompanhados, mas olhavam mesmo assim... E a paquera rolou solta:

― Bonitão esse hein?! - Bárbara aponta discretamente para o moreno da mesa do lado com mais dois caras.

― Não faz muito meu tipo. - Aline desdenha e belisca o pote de amendoim. ― Prefiro loiros. - ela ajeita o cabelo olhando para o amigo do moreno.

― Ela tem um histórico com loiros. Já eu não estou podendo escolher! - Ana Clara cola em Bárbara para entrar na disputa.

― É... Eles são bonitinhos sim.  - Maísa levanta um dos ombros e bebe um pouco da cerveja.

― ‘Hello’! Você quer meus óculos?! - Bárbara reclama.  

― Não... - Maísa dá uma risada de canto de boca enquanto olha novamente a mesa do lado ― Tá... Eles são bonitos sim...

Ana levanta as sobrancelhas sem entender...

― Amiga! Presta atenção. Olha direito - Bárbara dá um tapinha no ombro de Maísa! ― Olha que sorriso!

Maísa balança a cabeça pra lá e pra cá, demonstrando um leve “tanto faz”.

― Taí... Qual a primeira coisa que vocês reparam num homem? - Aline lança a brincadeira.

― Sorriso! - Bárbara.
O corpão!! - Aline.
O olhar!... E depois as mãos pra ver se tem aliança né gente! - Ana.
E você Mazinha?...

― Os sapatos...

― O quê?! - Três gritos em uníssono tampam o burburinho do bar...

... rola um silêncio de alguns segundos que duram uma pequena eternidade para quem sente vergonha...

...E o burburinho volta ao normal...

― Os sapatos?! - Ana sussurra sem acreditar.

― Como assim? - Aline abre as palmas das mãos.

― Eu tenho uma teoria... Não tem forma melhor de saber se o cara é cuidadoso, vaidoso, se tem mais ou menos dinheiro... Se é bem educado...

― Pelos sapatos?! - Aline está chocada.

― É... Eu olho se eles estão limpos, bem conservados, se não estão velhos e gastos. - Maísa agora está rindo da cara das novas amigas que não acreditam.

― Você tem problema! E o corpo, a bunda, o pin...- Bárbara se revolta!
(risada geral)

― Cara! É sério! Você pode olhar para o corpo inteiro, mas tem que dar atenção aos sapatos! - Maísa consegue despertar o interesse das meninas. ―Tem como saber se ele é do tipo esportivo, descolado, ou mais sério e organizado! Sem precisar começar uma conversa!

Elas se encaram...

― To passada, mas gostei! - Ana concorda.

― E não fico! - Maísa continuou... ― Ele pode ser lindo, mas de sapatos gastos ou sujos nem pensar!

A mesa caiu na risada de novo com aquela loucura.

Foi nesse momento que um barulho de motor chamou atenção das mais atentas. Era o carro do ano, branco como da moda, estacionando próximo ao bar.

Aline e Bárbara quase tombaram de suas cadeiras para tentar descobrir quem era. Mas antes que elas falassem alguma coisa, Maísa se adiantou:

― Nada contra... Mas se o sapato estiver sujo, pode crer que é o motorista tirando onda de dono!

Elas se entreolharam, confirmaram balançando a cabeça e se voltaram novamente para o carrão... E em dez segundos um pé de sapato saiu porta afora...

― Motorista!! - E mais um grito ecoou no bar seguido de um brinde...

#ouvindo Moves like Jagger - Maroon 5

10/09/2012

Impasses de amor


Se você está desesperançosa, desistindo de amar, cansada dos próprios problemas, jogando a toalha mesmo, acho melhor não ler esse texto... Ou ler.

O que aconteceu foi de certa forma engraçado. Eu podia dizer que foi triste, baseado nas histórias que ouvi, mas é sempre melhor levar as coisas para o lado positivo, para o bom humor. Por isso, foi engraçado.

Você tem um problema no relacionamento? Ou já teve?

Pois das cinco mulheres que conversavam juntas, todas tinham alguma coisa pra resolver. Alguma coisa que não estava dando certo.

Falta de comprometimento, dificuldades financeiras, dependência da família, bebedeira, excesso de trabalho... Cada uma com um perfil de homem diferente e cada um deles com o seu problema específico. Porém todas com a mesma dúvida na cabeça:

Vale a pena continuar?
...

E agora você está se perguntando por que os relacionamentos têm que ser tão complicados. E eu respondo de cara que quem cria essas complicações somos nós mesmos. Somos adultos, pessoas independentes, com nosso trabalho, metas, gostos individuais, com momentos de cansaço de stress e momentos de felicidade. Se conciliar duas vidas que se dão bem já é um desafio... Como conciliar uma vida que pode estar toda “certinha” com a de outra pessoa que pode não estar num momento igual ao seu?
...

O que eu vou dizer a seguir não são conselhos. Não acho que eu seja a pessoa certa pra isso. Cada um deve avaliar, pensar bastante para tomar suas próprias decisões. Mas eu posso ampliar o debate. (como sempre!).

É clichê, mas é verdade: “Não existe homem perfeito”. Assim como não existe mulher perfeita. E um dos maiores erros da mulher é esperar demais da outra pessoa. Esperamos atitudes, mudanças, coisas que por várias vezes nem comunicamos que estamos esperando por aquilo. Ninguém lê pensamentos, assim como é muito difícil uma pessoa mudar um tipo de atitude depois de anos de vida. (Não é impossível, mas é difícil).

Não estou dizendo que a mulher deva sucumbir aos problemas do outro e aceitá-los. De forma alguma! Acredito que o ideal é o equilíbrio. É um relacionamento, não um contrato de trabalho, porém, que ambas as partes se sintam confortáveis para dar continuidade a seus planos, sem que pese pra um ou para o outro.  (muita comunicação franca nessa hora!)

Qual é o seu limite? O quanto você está disposta a abrir mão? Até onde você suporta o problema?

Já parou pra pensar se fosse ao contrário, como ele se comportaria?

E o amor gente?! Onde ele entra no meio disso tudo?

Depois de um tempo o romance esfria, a paixão inicial passa. Mas daí a passar toda uma burocracia por cima do relacionamento é por que algo está definitivamente errado.

Se não houver amor, respeito, companheirismo, amizade para aguentar qualquer barra, de que adianta então?

Muita coisa pra pensar né... É, relacionamentos são complicados mesmo.

...

#ouvindo Coldplay - Viva La Vida

09/09/2012

So kiss me...


Ouvi por aí...

 "Imagine uma nova história para sua vida 

e acredite nela."

É...


É... Vocês não têm jeito mesmo.

Eu havia prometido que não iria voltar a escrever pro Gatos na Cama. Afinal, foram quase 3 anos de blog, divididos em 135 postagens, 261 comentários, em mais de 8 mil visualizações.

Então achei... Já deu o que tinha que dar, vamos mudar de assunto, chega de falar de amor, de casos, de namoros, de problemas de relacionamento, de solteirice! Eu mesma estava farta de debater o tema! E não tinha mais sobre o que escrever. Que tal falar de política, de cultura, de viagens, de economia, da crise!...

E eu tentei...

Mas, senta numa mesa de bar. Ou então, faz uma reuniãozinha com as amigas. Ou até, combina um almoço de domingo em família. E que tal uma tarde de futebol dos meninos.

Sobre o que vocês estão falando? Sim... Pode até começar com o papo do problema da sua cidade, mas sabe como a conversa vai terminar?!

Em amor. Em problema de amor. Quem não tem um? Ou já teve?

Então, a culpa é totalmente de vocês... Eu nem queria voltar a escrever.

Mas como comecei esse texto... Vocês não têm jeito.

#ouvindo Queen - I want to break free (rsrsrs) 
Respeite a propriedade intelectual. Ao reproduzir os textos não se esqueça dos créditos! Obrigado!